terça-feira, 31 de janeiro de 2012

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Eu não te julgo, e você não me julga



Não me julgue pelos meus discos, meus livros ou meu gosto por poesia. Aliás, não me julgue. Quem é você? Eu gosto das mudanças em mim e as aceito de bom grado. Os nossos gostos nos constroem. Eu gosto de Caio Fernando e Clarice Lispector, mas isso não quer dizer nada além do fato de que gosto de Caio Fernando e Clarice.
Gosto de dias frios e de chocolate quente. Prefiro ler a escutar música. Prefiro assistir filmes a ir à uma festa. Prefiro barzinho a boate. Prefiro conversa com amigos a curtições cheias de desconhecidos. Prefiro cidade a campo. Prefiro e-mail a telefone. Prefiro o riso quando regado de espontaneidade. Prefiro praia a cachoeira. Sempre que estou em frente ao mar sinto como se os problemas não pudessem me atingir, pois estou cercada de paz (e é isso mesmo.) Não há nada por trás. E se achar que há, você pode me perguntar, eu respondo, nunca tive problemas em responder o que está ao meu alcance — e adoro divagar sobre o que supostamente não está.
Não me julgue por eu achar um tédio gente que se faz de "cool", eu só acho um tédio, mas também não julgo. Não me julgue pelo que você supõe de mim. Aqui dentro há um mundo que até eu desconheço. Me perco em esquinas e dou meia-volta para um lugar em que nunca estive. Eu sou incompleta e não me importo, sou inconformada e não me importo. Eu não me importo com o sério, só perco o sono por bobagens. Me misturo com o que penso e acabo sonhando bobagens também. Acordo criança arteira que pinta o mundo como quer, só para ter uma realidade mais bonita ao alcance das mãos. Eu pinto um quadro que ninguém paga para ver, mas que no final do dia faz diferença na galeria de quem sou.
Pessoas acham que nos conhecem e tiram conclusões por algo que dissemos, a gente não é só o que diz, é também o que faz e o que sente. E você nunca saberá o que eu sinto. Nunca me conhecerá. Existem pessoas que me "conhecem" e pessoas que não me conhecem, escolha um time e se conforme. Eu também nunca te conhecerei e é por isso que o meu dedo continua apontando para mim e não para você, porque não te conheço, logo, não te julgo. E mesmo se conhecer o próximo de forma profunda fosse possível eu ainda optaria por não julgar, simplesmente não cabe a mim, a nós. É preciso reconhecer que todos têm um mundo só seu, um mundo que ninguém tem sequer o direito de tentar entender. Eu não tenho esse direito e nem me dou. Então, deixa disso.

Noemyr Gonçalves

E o cartão dizia assim:

"Juntos temos sonhos, fazemos planos e construímos a nossa história. É bom estar ao seu lado vivendo momentos tão especiais".


Te amo, muito, muito, muito!

Das minhas confusões


E às vezes o coração fica apertado, os olhos ficam úmidos e a cabeça meio dormente. Fica difícil encontrar o caminho certo ou algum caminho qualquer. Eu olho para baixo, para cima e ao redor, mas nada me indica uma direção. Quer dizer, ainda não sei se realmente não há indicações, ou se nesses momentos eu encontro-me surda e cega ao ponto de não percebê-las. Será possível alguém se sentir como ser um estranho nesse mundo? Talvez seja mais normal do que eu imagine. Nada impossível em um mundo tão simples, mas cheio de coisas tão complexas. Pena que enquanto eu tento resolver o meu problema existencial com o mundo a vida não para. 

sábado, 28 de janeiro de 2012

Por você eu me prendo facilmente



"Liberdade na vida é ter um amor pra se prender. A gente reclama muito da dependência, mas como é maravilhosa a dependência, confiar no outro, confiar no outro a ponto de não somente repartir a memória, mas repartir as fantasias. Confiar no outro a ponto de esquecer quem se foi assim que o outro esteja junto, é talvez chegar em casa e contar seu dia e só sentir que teve um dia quando a gente conta como foi. É como se o ouvido da outra pessoa fosse nossos olhos.

Amar é uma confissão. Amar é justamente quando um sussurro funciona melhor que um grito. Amar é não ter vergonha de nossas dúvidas, é falar uma bobagem e ainda se sentir importante. É lavar louça e nunca estar sozinho. É arrumar a cama e nunca estar sozinho. É aquela vontade danada de andar de mãos dadas durante o dia e de pés dados durante a noite."

Fabricio Carpinejar

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Olhando lá no fundo

"Alguns pensamentos são preces.
Há momentos em que, qualquer que seja a
posição do corpo a alma está de joelhos."

 Victor Hugo


Eu quero ser (só) assim!


"Benditos os que deixam um rastro de doces impressões por onde passam, ao invés de vidros partidos". 

Tânia Camargo

Suponhamos



Suponhamos que eu seja uma criatura forte, o que não é verdade. Suponhamos que ao tomar uma resolução eu a mantenha, o que não é verdade. Suponhamos que eu escreva um dia alguma coisa que desnude um pouco a alma humana, o que não é verdade. Suponhamos que eu tenha sempre o rosto sério que vislumbro de repente no espelho ao lavar as mãos, o que não é verdade. Suponhamos que as pessoas que eu amo sejam felizes, o que não é verdade. Suponhamos que eu tenha menos defeitos graves do que tenho, o que não é verdade. Suponhamos que baste uma flor bonita para me deixar iluminada, o que não é verdade. Suponhamos que eu esteja sorrindo logo hoje que não é dia de eu sorrir, o que não é verdade. Suponhamos que entre os meus defeitos haja muitas qualidades, o que não é verdade. Suponhamos que eu nunca minta, o que não é verdade. Suponhamos que um dia eu possa ser outra pessoa e mude de modo de ser, o que não é verdade.

Clarice Lispector

Eu só sei

que nos seus braços eu estou livre de qualquer mal. É a certeza de que estou segura e que eu não preciso temer os monstros que insistem em me perseguir todos os dias. E eu me sinto acolhida e aquecida.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Falar ou não falar?


Ah se eu pudesse e soubesse falar de tantas coisas que trago dentro de mim. Dos meus sentimentos, dúvidas, desejos e ilusões... Às vezes é preciso cultivar o silêncio e deixar que os pensamentos tomem conta de tudo até que o tempo passe e o momento certo apareça. E depois de muitas batalhas com os nossos próprios pensamentos, algumas coisas serão compartilhadas, enquanto outras ficarão escondidas em algum lugar no baú da nossa existência. Talvez isso seja bom, talvez seja ruim. Talvez deixemos escapar por entre os dedos algumas verdades que necessitavam ser ditas. Mas, como tudo tem uma explicação nesse mundo, o importante é ouvir o coração e seguir o caminho que nos deixa mais felizes.

E a gente custa encontrar o caminho certo...

“Porque o nosso coração sabe imediatamente aquilo que nossa mente custa a descobrir."


segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

I love it!


O guia das escolhas


‎"Sempre que houver alternativas tenha cuidado.
Não opte pelo conveniente, pelo confortável, pelo respeitável,
pelo socialmente aceitável, pelo honroso.
Opte pelo que faz o seu coração vibrar.
Opte pelo que gostaria de fazer,
apesar de todas as consequências."


sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Eu te amo não diz tudo...

Ele(a) diz que te ama... então tá! Ele(a) te ama! Assunto encerrado!!
Você sabe que é amado porque lhe disseram isso, as três palavrinhas mágicas.
Mas saber-se amado é uma coisa, sentir-se amado é outra, uma diferença de quilômetros.
A demonstração de amor requer mais do que beijos, sexo e palavras.
Sentir-se amado é sentir que a pessoa tem interesse real na sua vida,
Que zela pela sua felicidade,
Que se preocupa quando as coisas não estão dando certo,
Que se coloca a postos para ouvir suas dúvidas,
E que dá uma sacudida em você quando for preciso.
Ser amado é ver que ele(a) lembra de coisas que você contou dois anos atrás,
E vê-lo(a) tentar reconciliar você com seu pai,
É ver como ele(a) fica triste quando você está triste,
Sentem-se amados aqueles que perdoam um ao outro e que não transformam a mágoa em munição na hora da discussão.
Sente-se amado aquele que se sente aceito, que se sente inteiro.
Sente-se amado aquele que tem sua solidão respeitada,
Aquele que sabe que tudo pode ser dito e compreendido.
Sente-se amado quem se sente seguro para ser exatamente como é,
Sem inventar um personagem para a relação, 
Sente-se amado quem não ofega, mas suspira;
Quem não levanta a voz, mas fala;
Quem não concorda, mas escuta.

"Para conquistarmos algo na vida não é necessário, apenas, força ou talento; é preciso, acima de tudo, ter vivido um grande amor"

Arnaldo Jabour

Angel


quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Moulin Rouge

Amor em vermelho! A cor forte exprime a profundida e a beleza desse filme. Sempre vale à pena assistir e relembrar.



“Dias tornaram-se semanas, semanas tornaram-se meses, e então em um dia nada especial, eu fui até minha máquina de escrever, me sentei e escrevi nossa história. Uma história sobre uma época, uma história sobre um lugar, uma história sobre as pessoas. Mas acima de todas as coisas uma história sobre amor. Um amor que viverá para sempre.”



"...E não há montanha tão alta nem rio tão extenso, cante esta canção e eu estarei sempre lá ao seu lado. Tempestades podem surgir e estrelas colidirem, mas eu te amarei até o dia da minha morte..."


"Nunca imaginei me sentir assim, como se nunca tivesse visto o ceu antes."


Amor?



“Amor é quando Deus mesmo sabendo que eu erro todo dia ele sempre me dá uma chance de me arrepender”.

Eu li essa frase hoje pela manhã e ela me disse tantas coisas que acho que nem consigo explicar. Falamos tanto e o tempo todo de amor, mas será que nós sabemos a profundidade e o significado dessa palavra com tão poucas letras? Nem o dicionário é capaz de sintetizar o significado, tendo em vista seus possíveis usos, olha só: “AMOR - s.m. Afeição viva por alguém ou por alguma coisa: o amor a Deus, ao próximo, à pátria, à liberdade. / Sentimento apaixonado por pessoa do outro sexo: as mulheres inspiram amor. / Inclinação ditada pelas leis da natureza: amor materno, filial. / Paixão, gosto vivo por alguma coisa: amor das artes. / Pessoa amada: coragem, meu amor! / Zelo, dedicação: trabalhar com amor. // Amor platônico, amor isento de desejo sexual. // Por amor de, por causa de. // Pelo amor de Deus, expressão que dá ênfase a um pedido: não faça isso, pelo amor de Deus!”. Parece fácil, mas é bem mais complicado que pensamos. Envolve tantos outros sentimentos, pode ser dedicado a tantas pessoas, coisas e animais. Pode ser correspondido ou não, pode durar alguns dias, meses, segundos ou a eternidade. No fim, amar parece estar bem próximo da frase que iniciou toda essa minha reflexão, ou seja, é gostar do outro com todas as suas forças, mesmo sabendo que ele tem defeitos assim como nós mesmos. Mais uma vez, parece fácil, mas não é. Cabe a cada um se esforçar constantemente para que o amor seja suficiente e maior que qualquer outra coisa. 

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Pra onde haja sol...

"Minha bagunça mora aqui dentro, pensamentos dormem e acordam, nunca sei a hora certa."

Fernanda Mello


E o nosso amor será assim!


Ah! O amor!



O amor desbasta o ego. Enxuga excessos. Delata as mínguas. Transforma as mágoas. Destrona arrogâncias e idealizações. Desmancha certezas e tece oportunidades. Bagunça a autoimagem todinha, piedade zero, culpa nenhuma. O amor percorre territórios devastados da alma com a calma necessária para reflorestar um a um. Dissolve neblinas. Revela o sol. Destece máscaras. Reinaugura a humildade. Faz ventar. Faz chorar. Faz sorrir. Faz tempestade um monte de vezes pra dizer também céu azul um monte de vezes depois.

O amor nos ensina a simplificar perdões porque nos humaniza e nos lembra o quanto precisamos ser igualmente perdoados por tanta coisa, tanta gente, a começar por nós mesmos. Ele dispensa julgamentos porque abraça virtudes e limitações. Ele nos aproxima do nosso tamanho e nos recorda quem somos. O amor nos revista, inteiros, pra retirar relógios, calculadoras, roteiros, estratégias, controles, defesas; não raro, escondidíssimos. Diz nas sutilezas. Diz preciosidades que, mesmo às vezes bem baixinho, conseguimos ouvir e reconhecer, por mais cético e assustado que tenha se tornado o nosso coração.

O amor nos molda a cada movimento também para a liberdade de acolher o imprevisível, o inimaginável, o inevitável, o aprazível. Para querer ser e querer sinceramente que os outros também sejam. Ele nos torna mais sensíveis à alegria e à dor de toda gente, inclusive, principalmente, às nossas. Faz com que a gente se sinta parte da família humana. Conta que aquilo que procuramos, amiúde, num mundaréu de lugares, esteve o tempo todo, primeiro disponível, onde raramente buscamos. Reinventa-nos para nos tornar mais parecidos com nós mesmos, o máximo possível a cada instante. Dia após dia da nossa prática. Com medo e tudo. Com propósito e também com carinho. Devagarinho.

Ana Jácomo

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Pra gente relembrar e sonhar muitas e muitas vezes.



Falta pouco tempo...


Exatamente 10h! Quem diria que passaria tão depressa essa quantidade tão grande de dias. Como o tempo passa rápido como estamos felizes! Desde que a gente se "reencontrou" algumas coisas mudaram, talvez eu até me arrisque em dizer que tudo, absolutamente tudo mudou. Mudou meu olhar, meu sorriso, minha mente, meus objetivos pessoais, meu jeito de olhar a vida. Deixou mais lindo o meu mundo, mais alegre os meus dias, mais serenos os meus momentos. Nos permitimos crescer juntos em busca de um mesmo ideal, pintamos com outras cores nossa história e nosso passado e decidimos nos entregar à esse sentimento tão especial. O que seria dos meus dias sem o carinho, sem o seu amor, seu os seus telefonemas, sem a sua música, sem os seus beijos, sem o seu aconchego, sem o seu perfume, sem a sua falta de limites quando o assunto é me ver bem e feliz. São as incontáveis razões que me fazem ainda mais e mais apaixonada por você. É um conjunto de situações e pequenos gestos de amor, cuidado e respeito que compõe a nossa música, que fazem da nossa melodia doce e intensa e que me fazem agradecer todos os dias pela sua vida e por sermos merecedores de tamanha felicidade. Obrigada por todos esses segundos ao seu lado.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Desde sempre essa música me lembra você

Faz tempo que ouvi essa música pela primeira vez. Faz tempo que eu perguntei à você se conhecia essa música. Não precisei dar muitas explicações e tão logo lá estava você me fazendo sorrir enquanto eu ouvia você tocar. Engraçado como a vida é cheia e idas e vindas. Naquele tempo eu te olhava admirada, feliz com a sua amizade. Hoje eu continuo te olhando admirada e feliz com sua amizade, mas muito mais que isso, eu te olho apaixonada e certa de que eu encontrei quem eu procurava. A vida mudou, os sentimentos mudaram e, felizmente, nós mudamos e nos reencontramos.


Estranho



O que fazer quando temos a certeza de que estamos apaixonados e felizes com nosso amor, mas mesmo assim algo deixa tudo fora do lugar dentro da gente?

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Só você!



"Algumas pessoas são tão especiais que é como se esse mundo não fosse suficiente para abrigar o carinho que sentimos por elas, transcende."

Noemyr Gonçalves

"Minha esperança é que o sonho esteja apenas cansado e depois de uma boa noite retorne colorido, musicado e perfumado."

Tati Bernardi


segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Bem me quero


Como diz um verso antigo e conhecido, "aprender a se colocar em primeiro lugar não é egoísmo". E, sendo assim, cansei de abrir mão da minha felicidade só para agradar aos outros. Cansei de chorar para evitar que os outros chorassem, cansei de evitar sorrir para que os sorrissem. Mudar de atitude e alçar novos vôos também significa crescimento e amadurecimento. Fácil? Definitivamente não! Mas, há momentos na vida em que é preciso ter coragem, coragem suficiente para vencer a si mesmo e seguir o caminho que o coração pede. É preciso confiar na força interior, correr riscos, superar "antipatias" e enfrentar críticas das mais diversas formas. É preciso, acima de tudo, amor-próprio!

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Só pra você



Eu sabia que estava sendo amada, talvez como nunca em toda a minha vida. Mas absolutamente incrível. Só ele conheceu uma mulher corajosa que admitiu todos os medos, todas as neuroses, todas as inseguranças, toda a parte feia e real que todo mundo quer esconder com chapinhas, peitos falsos, bundas falsas, bebidas, poses, frases de efeito, saltos altos, maquiagem e risadas altas. Ninguém nunca me viu tão nua e transparente como você, ninguém nunca soube do meu medo de nadar em lugares muito profundos, de amar demais, de se perder um pouco de tanto amar, de não ser boa o suficiente. Só ele viu meu corpo de verdade, minha alma de verdade, meu prazer de verdade, meu choro baixinho embaixo da coberta com medo de não ser bonita e inteligente. Só para ele eu me desmontei inteira porque confiei que ele me amaria mesmo eu sendo desfigurada, intensa e verdadeira, como um quadro do Picasso. Quero que ele veja o quanto mudei por causa dele. Não foi só o muque que ficou mais duro, mas minha autopiedade também aprendeu a ser menos molenga. Talvez meu amor tenha aprendido a ser menos amor só para nunca deixar de ser amor. Impressionante como a gente sofre por nada. Um cheiro que mexe com você, um jeito de olhar contido, uma idéia inteligente, várias na verdade. Não, não é nada disso, a gente sofre é pela impossibilidade. Ele sabe que você nunca será mais uma daquelas mulheres sem nome, com quem ele janta ou come, pra sentir de dentro da redoma de vidro um sol artificial. Ele sabe e afirma pra você, todos os dias, que você é e sempre será única pra ele. A verdade é que eu ainda acredito em reencarnação. Seja ele, seja o homem que perde um segundo de ar quando me vê. Você segura minha mão e eu me sinto segura. E eu tenho vontade de segurar seu rosto e ordenar que você seja esperto e jamais me perca e seja feliz. E entenda que temos tudo o que duas pessoas precisam para ser feliz. A gente dá muitas risadas juntos. A gente admira o outro desde o dedinho do pé até onde cada um chegou sozinho. A gente acha que o mundo está maluco e sonha com a praia de janeiro e com sonos jamais despertados antes do meio-dia. A gente tem certeza de que nenhum perfume do mundo é melhor do que a nuca do outro no final do dia. A gente se reconheceu de longa data quando se viu pela primeira vez na vida. E do quanto você jamais vai encontrar uma mulher que nem eu nesses lugares deprê em que procurava. Porque eu me banco sozinha e eu me banco com um coração. E não me sinto fraca ou boba ou perdendo meu tempo por causa disso.

Tati Bernardi, adaptado

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Antes eu tinha...



...uma alma mansa, um sorriso pouco, uma esperança diminuta, uns olhos opacos. E então tu apareceste com todas tuas mil cores, teus gestos bonitos, tua paz, teus beijos enlouquecidos, teus lábios ansiosos, teu corpo em brasa, tua delicadeza, tuas delícias, tua forma de amar. E o meu planeta começou a ter pinceladas vermelhas e passou a se chamar "Amor". 

Natália Anson Lima

Cada vez...



que você beija a minha testa, que você pega a minha mão enquanto caminhamos pela rua, que você liga apenas para dizer que me ama, que você me abraça para me aquecer quando estou com frio, que você passa a mão por entre os meus cabelos, que você chega bem perto para sentir meu perfume, que você me olha tão admirado, as coisas mais simples tornam-se as mais essenciais e aumentam ainda mais meu amor por você.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

E o ano começou assim


mais feliz, mais cheio de vida, mais cheio de harmonia, mais cheio de amor. Com a família reunida, com o carinho dos amigos, com meu coração cheio de amor. Enfim chegou o tempo em que eu não vivo de tristezas, desculpas, desabafos e lágrimas. Hoje, eu vivo de esperança, sorrisos e sonhos. Já não vivo mais só, nem em presença, nem em sentimento. Eu vivo constantemente encantada com a vida, com as pessoas, com você. É tudo tão diferente do passado, mas é tão igual ao que eu desejava viver. Eu comecei com o pé direito, comecei completa e apaixonada, disposta a enfrentar todos os obstáculos por mim, por você, por nós.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

O que todo mundo quer


Eu só quero que as coisas fiquem em seus devidos lugares, quero ter força pra suportar. Quero que tudo aconteça como tem que acontecer. Quero confiança.
Quero amor, todo amor que eu puder ter. Mas só se for o verdadeiro. Quero alcançar aqueles objetivos que a tanto tempo procuro alcançar. Quero poder ficar tranquila, sem aquele peso horrível no coração. Quero aprender a saber em quem confiar. Quero verdade. Quero poder sentir que pelo menos uma coisa deu certo de verdade. Quero perder as inseguranças.
São tantas, mas tantas coisas que eu quero. Eu quero poder criar raízes, coisa que até hoje não consegui. Se algo me irrita uma vez, eu logo já deixo de lado, não procuro compreender, ou tentar entender. Sempre quis ter asas, mas de que adianta ter asas se não tenho onde pousar? Quero encontrar algum lugar em que eu me sinta segura em ficar. Quero isso. Estou tentando fazer com que esse seja o meu lugar seguro, fazer com que você seja meu lugar seguro , mas pra saber, vou ter que esperar. Então pra isso, quero mais uma coisa: paciência.

Ingrid Busquet


É assim...



Eu gosto das pessoas pelo prazer de gostar e não porque deu tempo de gostar delas.

Tati Bernardi

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

E para 2012...



As festas de ano novo dobrando a esquina. Queima de fogos, lista de intenções.

Falando em intenções, quero então fazer uma lista de desejos para o ano que se achega. Ao contrário do que se acredita, desejos a gente revela, sim, para que os outros desejem conosco olhando para a mesma estrela. Assim podemos dar vida às palavras de Dom Helder, aí em cima na epígrafe.

Então, que em 2012 a meta primeira de todas as pessoas seja atingida. Ticar mais um xiszinho nas tarefas a realizar na vida é sempre gratificante. Muitas vezes, dessa meta dependem outras metas, metas-corolárias – corolária é uma palavra difícil, mas linda.

Que em 2012 as pessoas amem mais e sofram menos por causa de outras. Que entendam que há sempre um caminho para felicidade, mesmo que o que as leve para lá não seja aquele trajeto tão cuidadosamente planejado. Que descubram, no novo e por vezes improvisado caminho, o riacho límpido que perderiam se não houvesse o desvio feito a contragosto. E que não destruam o caminho caminhado, pois foi ele que lhes trouxe até aqui.

Que em 2012 possamos dar continuidade ao trabalho que estamos desenvolvendo no nosso espaço profissional. Há uma sede desértica e uma fome de mudança africana por mudanças qualitativas na sociedade. Que possamos nos regozijar com uma esperada justiça social – regozijar também é uma palavra linda.

Que em 2012 quem se perdeu se ache. Quem se achar, se curta. Quem se curtir, que sonhe. Que use como barômetro da vida não as pequeninas coisas do dia a dia, as más e mesquinhas, mas as pequeninas coisas do dia a dia, as boas e agradáveis. Que, assim, nosso bem-querer e nossa disposição em viver nossa vida, única e nossa, beijem a boca e despertem do sono a Pollyana bela e adormecida que existe em cada um de nós. Robertocarlianamente, é preciso saber viver. Sonhar não custa nada, frase trivial e tão verdadeira. É da trivialidade que surgem os geniais insights. Devemos olhar com cuidado o comum que nos cerca, pois ele guarda surpresas inimagináveis e mudanças de vida impensáveis.

Que em 2012 as inevitáveis lágrimas que rolarem em nossas faces sirvam para enxágue da alma. Que sirvam para limpar os olhos dos travos de amargura que porventura tenham tocado a boca de nosso espírito. Que as lágrimas vertidas sirvam para regar o verde do jardim de nossa alma, por vezes cinzentas. A dor é o maior aprendizado do ser humano. Sempre haverá algo a doer. Quanto mais cedo reagimos e aprendemos a domesticá-la, mais cedo creio que seremos mais serenos e lépidos diante das drummondianas pedras no meio do caminho.

Que em 2012 novas pessoas especiais surjam em nossas vidas. A cada ano, acredito, um bom punhado delas é colocado a dedo no traçado de nossa existência com alguma missão que só muito mais tarde descobriremos. Ou não. Pessoas que simples e profundamente nos fazem bem. Pessoas cujo simples cruzar de olhar já dá um tom especial à melodia do nosso dia até então desafinado. Pessoas que fazem o coração jovializar surpreso e agradado ao vê-las inesperadamente e que levam esse mesmo coração a esperar ansioso pelo próximo encontro. Pessoas que atrasam nossas programações mais mundanas por conta de suas inestimáveis companhias, quase divinas. Pessoas especiais a quem nossa linguagem chama autonomamente de amigas, independente do tempo de convívio. Pessoas como essa em quem você está pensando agora.

Que em 2012 as velhas mágoas se aposentem e vão curtir a vida em qualquer outro lugar. Que abram vaga nova no coração, onde nunca deveriam ter ocupado assento. Que em seus lugares, alegrias joviais e cheias de gás, recém-nascidas ou formadas, assumam e sintam o prazer em servir doses sem medida de paciência, tolerância e carinho em relação aos que nos circundam.

Que em 2012 aquele velho amigo que se pôs distante ponha-se achegado. Que as gargalhadas e risadagens compartilhadas e registradas no amarelado álbum do tempo, e suspensas pelos rumos da vida, retomem seu viço e seu som estridente de então, quando lágrimas corriam soltas lavando a alma de felicidade. Uma amizade resgatada é como uma nota de cinquenta achada no bolso daquela bermuda que há muito a gente não usa: alegra e permite a retomada de planos. E que também aquele amigo que se porá distante no ano que entra não se desachegue. Que vá, mas fique, deixando sua presença fraterna no lugar de sua presença física. Deixando seu cheiro em nossa alma para a lembrança eterna.

Que em 2012 aquele velho projeto secreto tenha sua vez. Ele sempre esperou quietinho por ela. Chegou a hora. Desengavete-o!

Que em 2012 seja o Ano Internacional do Reencontro. Reencontro consigo, com seus amigos, com sua família. Reencontro com aqueles de quem nos desencontramos por causa da teia dos acontecimentos cotidianos. Reencontro com aqueles de quem nos perdemos no tumulto da multidão dos fatos. Reencontro com nossos valores mais pueris de solidariedade, afetividade e humildade. Reencontro com Deus, grande maestro do show da vida e de vida que nos cerca.

Que 2012 seja o ano da virada. Seja lá qual for essa virada. Desde que seja para melhor. Que seja o ano do recomeço, seja lá o que for que precise ser recomeçado. Rupturas virão, ao certo, mas novos laços imediatamente surgirão para não deixar o entremeado tecido da vida roto e maltrapilho. A roupa que veste a vida espelha a aura que reveste a alma. E vice-versa.

Que 2012 seja o ano da coragem. Da coragem de rever autocriticamente nossas pisadas de bola e nossas mancadas, sem punições ou autoflagelos. Quem não dá testadas nessa vida de quando em vez? Que sejam momentos de introspecção positiva. Momentos de rever nossos planos, conceitos e preconceitos daninhos. Coragem para, tudo revisto, assumir posturas claras. Coragem para não esquecer que ninguém é eterno e que a vida é efêmera como uma florzinha no campo. Exatamente por isso não vale a pena ficar ruminando em cima daquela questiúncula miudinha e pequena. Coragem para dizer diretamente o que tem a ser dito, mas de forma tranquila, serena e verdadeira, como só os corajosos sabem fazer. Os fracos de alma sentem a necessidade de dizer por terceiros, de mandar recados. Aliás, não é necessidade: é falta de opção. É a única forma que sabem fazê-lo. Então, que aprendam outras formas em 2012.

Que em 2012 aquele dia anual de cabeça quente sirva para aquecer o coração. Explodir para quê? Que o calor da cabeça gere energia termoelétrica para processar as perguntas sem respostas, refletir a vida, refletir as tomadas de rumos, refletir os novos momentos e sua significação. Refletir a reflexão. Dormir antes de decidir.

Que 2012 seja um ano de tolerância. Que se perceba que as pessoas são diferentes e que nessa diferença reside a beleza de uma relação. Mapear o amor que sentimos e que funda nossa relação com os outros é uma das tarefas mais primordiais e gostosas de qualquer relação. É bom demais construir nossa história, riscar nossos corações nas árvores dos fatos, nas calçadas da mente. E lembrar, sem dramas, que cada um às vezes precisa de um minuto sozinho no seu cantinho. Não é nem preciso verbalizar essa necessidade para o outro. O amor proficiente no amor aprende a ler silêncios, textualizar olhares, significar sorrisos e gestos. Enfim, compreende a necessidade de transcender as palavras enunciadas. O não-dito grita o que as palavras calam.

Que em 2012 aquele velho conselho de Victor Hugo prevaleça: tenha dinheiro, mas não esqueça quem manda em quem. Dinheiro é conseqüência e não meta. Pense nisso, mas não se desvalorize enquanto profissional. A felicidade no trabalho é elemento importante para o equilíbrio da felicidade global, mesmo que por vezes ela pareça encurralada por desânimos e sensações de imobilidade. Os ritmos das pessoas para a cadência da vida são diferentes: alguns sambam, outros valsam. Alguns bregam com Michel Teló, outros viajam na mais deliciosa MPB. Ninguém muda tudo, mas alguma coisa se muda. Concentre-se nesse alguma coisa e toque a canoa que o chibé lhe espera.

Que em 2012 as pessoas façam algo que nunca fizeram. Ou porque não gostam ou porque não tiveram chance. Que descubram nessas coisas diferentes um prazer diferente. Que tomem Guaraná Baré, comam tucumã no pão, bife com ketchup. Que criem coragem para provar Yaksoba e berinjela. Que assistam filmes do Almodóvar , experimentem uma bala de araçá-boi. Que se desapoquentem ouvindo Jorge Aragão ou Carpenters. Que assistam ao Domingão do Faustão e se deliciem com aquelas velhas videocassetadas de dez anos atrás. Que tome um delicioso banho de chuva a dois ao som de “Que maravilha”, cantada pelo Toquinho. Que leia um livro à cama, trocando calorzinho pelos pés que se chamegam por baixo do edredom. Que comam o doce abio e riam juntos do beijo de boca grudenta que a fruta proporciona. Que riam dos outros e, acima de tudo, riam de si. Aprender a ri de si é fundamental.

Que em 2012 a saudade venha e venha forte. Só sente saudade quem viveu intensamente. Que haja vida intensa no ano que rebenta. Que essa intensidade não signifique assoberbamento, mas compactação, viçosidade e viscosidade ao vinho da celebração aos fatos. Que brindemos à vida sem ficar de porre, mas apenas levemente felizes.

Que 2012, enfim, seja seu ano. Ao desejar um 2012 maravilhoso, peço a você que me lê para não esquecer algo fundamental: de bater um papo com Deus nas suas mais diversas formas. Sempre faz bem.

Meu último, mas nem por isso menos importante, desejo é o de que em 2012 minha lista de desejos tenha apenas uma frase: um 2013 igual a 2012: feliz. Aliás, feliz é uma palavra muito linda.

Sérgio Freire